sábado, 27 de julho de 2013

Na Catedral do Rio, Papa Francisco convoca bispos, padres e religiosos para ir ao encontro das pessoas


A Catedral Metropolitana de São Sebastião, no Rio de Janeiro (RJ) recebeu os bispos brasileiros, presbíteros e diáconos, além de religiosos e seminaristas, para a missa presidida pelo Papa Francisco. O pontífice foi acolhido na Catedral pelo arcebispo do Rio, dom Orani João Tempesta. Também concelebraram o presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis; o vice-presidente da entidade, dom José Belisário da Silva, e diversos bispos brasileiros e estrangeiros, que pregaram as catequeses durante a Jornada Mundial da Juventude. A missa aconteceu na manhã deste sábado, 27 de julho.

O Santo Padre presenteou a Catedral do Rio de Janeiro com um cálice, simbolizando a unidade da igreja em comunhão. Após a proclamação do evangelho, um trecho da conclusão de São Marcos que relata o envio dos discípulos de Jesus, Francisco dirigiu a sua homilia. “Vendo essa Catedral lotada, penso na palavra do salmo da missa do dia de hoje: ‘Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor”, iniciou. “Somos chamados por Deus! (...) Os religiosos não podem ser desmemoriados. Tem que ter no coração a recordação da origem de sua vocação”.

O Papa recordou que os vocacionados são chamados a ir ao encontro dos irmãos. “Permanecer com Cristo não significa exilar-se, mas sim ir ao encontro dos outros. (...) Ser missionário não significa necessariamente abandonar o país, família e os amigos. Pois Deus quer que sejamos missionários onde estamos. Ajudemos aos jovens a perceber que ser discípulo é consequência do ser batizado”.

Em harmonia com a reflexão atual da Igreja no Brasil sobre a renovação paroquial, Francisco destacou que os ministros do evangelho devem ir ao encontro dos que estão afastados. “Não podemos ficar enclaustrados em nossa casa, em nossa paróquia. Não se trata simplesmente de abrir a porta para acolher, mas de sair pela porta fora para procurar e encontrar. Devemos sair, somos enviados! Temos que sair pela porta para buscar e encontrar as pessoas”, disse o Papa, que destacou também a importância da acolhida dos jovens nas comunidades. “São convidados VIP em nossas paróquias!”.

Francisco recordou ainda que os ministros da Igreja devem combater a cultura da exclusão. “Queridos irmãos e irmãs, somos chamados por Deus a anunciar o Evangelho e a promover com alegria a cultura do encontro. (...) Vamos ao encontro de tantos irmãos e irmãs que estão abandonados. Não fiquemos em casa: vamos sair de casa, e assim sejamos discípulos do Senhor!”.

Fonte: CNBB

Papa Francisco meditou a Via Sacra em Copacabana

“O caminho da cruz é um dos momentos fortes da Jornada Mundial da Juventude” disse o Papa que também recordou o gesto de João Paulo II que, no final do ano 2000, confiou aos jovens que levassem a cruz pelo mundo inteiro no movimento de evangelização que fazem em torno das jornadas mundiais.

 “Ninguém pode tocar na cruz de Jesus sem deixar algo de si nela e sem trazer algo dela pela sua vida”. Em seguida, o Papa pediu que todos se deixassem tocar por 3 perguntas: O que vocês deixaram na cruz nesse tempo em que elas atravessou o país? O que ficou da cruz na vida de vocês? E qual é o sentido da cruz de Jesus para todos? Para iniciar a brevíssima meditação sobre essas 3 perguntas, lembrou do episódio contado pela Tradição da Igreja que mostra o apóstolo Pedro querendo deixando Roma, quando cai em si e reconhece que precisava enfrentar a cruz porque podia contar com Cristo.



“Com a cruz, jesus se une às famílias que se encontra em dificuldade e que choram a perda de seus filhos”, disse ao Papa pedindo que todos rezassem pelos jovens que morreram no incêndio da Boate Kiss, no início deste ano, que deixou 242 mortes em Santa Maria (RS).

O Papa lembrou que com a cruz, Jesus está junto de pais e mães que choram ao ver seus filhos perdidos em paraísos falsos como as drogas. Com a cruz, Jesus está junto a tantos jovens que se desiludem com a política, com a Igreja e com Deus por causa da incoerências de seus ministros. E recordou ainda que Jesus carrega as cruzes de todos sobre seus próprios ombros e dá ânimo a todos. Para responder à segunda pergunta, sobre o que a cruz de Cristo deixa em cada pessoa, o Papa disse que deixa a certeza do amor fiel de Deus por todos. Cristo que entra no pecado e perdoa, entra no sofrimento e alivia. E, lembrando a última pergunta disse que “na cruz de Cristo está todo o amor de Deus e sua imensa misericórdia”. E que só em Cristo morto e ressuscitado se encontra a salvação. Com Cristo, disse o Papa, o sofrimento e a morte não têm a última palavra. Cristo transformou a cruz num símbolo de amor, de vitória e de vida.

O Papa destacou que o primeiro nome de Brasil foi “Terra de Santa Cruz” e a cruz de Cristo não foi plantada somente na praia ha 5 séculos, mas no coração e na história do Brasil. “Não há cruz pequena ou grande que Cristo não nos ajuda a carregar”, afirmou. O Pontífice afirmou que a cruz convida a sair de si mesmo e estender a mão aos outros. E finalizou perguntando aos jovens qual seria o rosto daqueles personagens que seguiram Jesus no caminho da cruz. Perguntou aos jovens que pensassem se queriam ser como covarde Pilatos ou solidários como Maria e Cirineu. “Queridos jovens: levamos as nossas alegrias, os nossos sofrimentos, os nossos fracassos para a cruz de Cristo.”

Fonte: CNBB

sexta-feira, 26 de julho de 2013

17º Domingo do Tempo Comum


PAI-NOSSO, PAI DE TODOS!
Ev. Lc 11,1-13

                A temática principal que aparece no Evangelho de hoje (Lc 11,1-13) é o “pedido e a promessa”.
                Um de seus discípulos, carente pela oração, em nome de todos os demais, pede ao Mestre que lhes ensine a rezar: “Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou a seus discípulos”. O discípulo, acertadamente, bateu à porta de quem tinha as prerrogativas para ensinar a verdadeira oração.
                Cadê João, o seu mestre, não lhe ensinou a rezar? Percebe-se que, na iniciativa do discípulo, surge o desejo de um maior discernimento entre as duas realidades - o velho e novo, nascendo assim, no Evangelho de São Lucas, as verdadeiras diretrizes sobre a oração cristã, a realidade nova.
                O discípulo espera que Jesus conclua sua experiência oracional, para pedir-lhe: “Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou a seus discípulos”. Jesus não hesitou, logo ensinou-lhes, dizendo assim:             “Quando orardes, dizei: Pai”
                A partir de então, começa aparecer o novo. Qual é a novidade trazida? O novo está exatamente na forma como devem as pessoas se relacionar com Deus: agora, sim, Deus deixar de ser aquele ser comparado a um juiz implacável, distante e incomunicável, ou um patrão perseguidor e desumano, para ser o Querido, o Amado, o Próximo, o Eterno Amigo e Solidário de todos os seus filhos e filhas.
                “Santificado seja o vosso nome”
                Quando glorificaremos o nome de Deus? Quando a sua ação libertadora e salvadora contagiam os homens e as mulheres. Por exemplo: quando qualquer um e qualquer uma vê-se libertado de qualquer mal, conquistou o seu próximo, depois de tantos anos que passaram intrigados, e tantos outros sinais que respiram motivos de alegria e satisfação, aí sim, manifestamos as razões salvadoras na sua forma plena.
                “Venha o vosso Reino”
                Só a presença do Reino de Deus é capaz de destruir o anti-reino patrocinador do ódio, da vingança, da competição, das falcatruas, oferecendo as possibilidades necessárias para a implantação do Verdadeiro Projeto do Reino do Amor e da Paz.
                Ai sim, a oração atua de fato na manifestação santificadora do nome de Deus e a presença do seu Reino torna-se visível no coração de cada um.
                “Dai-nos hoje o pão que precisamos”
                O pão, aqui, quer significar não só o pão alimento, mas toda e qualquer forma de carência, tais como: terra, moradia, emprego, salário justo, educação, saúde, liberdade, direitos respeitados, vida para todos e todas, cidadania; contando que tudo reflita o “paraíso brotado das mãos do Eterno Pai.
                “Perdoai-nos os nossos pecados, pois também nós e perdoamos a todos os que nos devem”
                Se nós os filhos e filhas de Deus, irmãos de Jesus na fé, os cristãos seguidores e chamados pelo batismo ao seguimento do Mestre, não formos capazes de compartilhar uns com os outros o dom do perdão, não passaremos de hipócritas, ou seja, negar as relações fraternais entre si é tornar inútil e mentirosa a oração ensinada por Jesus Cristo.
                “E não nos deixeis cair em tentação”
                Todo e qualquer cuidado ainda é pouco, frente a um mundo baseado e condicionado ao ter pelo ter, ao poder pelo poder, e o pior é que para muitos, esta mentalidade está a cima de tudo e de todos, da ambição, do prestígio, do egoísmo e da idolatria.
                Jesus, por sua vez, tem a preocupação em nos conscientizar, de nos alertar para a devida atenção aos valores do Reino: serviço, solidariedade, respeito ao próximo e disponibilidade como condições necessárias para que se construa um mundo de Deus e de irmãos.
                “Certeza de ser ouvido” (vv. 5-10)
                A parábola contada por Jesus no Evangelho de hoje nos garante que, se pedirmos com fé, humildade e esperança, seremos atendidos: “Peçam e receberão; procurem e encontrarão; batam, e a porta será aberta para vocês. Porque todo o que pede, recebe; o que procura, encontra; e, para quem bate, se abrirá” (vv. 9-10). Precisamos alimentar tais convicções.
                “Deus é Pai” (vv. 11-13)
                Se Deus é verdadeiramente Deus e verdadeiramente Pai, que necessidade tem de nossas preces? Não é porque rezamos menos que ele será menos Deus, menos Pai, menos perfeito? Não é que só temos necessidade de rezar, precisamos também mergulhar no Senhor, se não esqueceremos nosso próximo e nos tornamos então tão inumanos.
                Qualquer é o pai, qual é a mãe que não se preocupa em atender aos seus filhos, nas suas necessidades as mais urgentes? Com muito maior razão age o Pai que dá aos seus filhos e filhas o bem supremo.
                O Pai-nosso é uma síntese de toda a mensagem cristã. É preciso entender que nas orações reflete-se o conteúdo da própria fé e a imagem do Deus no qual se acredita. Não basta rezar, saber como rezar é o mais importante. Assim sendo, Jesus teve o cuidado necessário de ensinar uma oração que serve de modelo para quem quer viver como Jesus viveu.
                Dai-nos, Espírito Santo, os dons da inteligência e da sabedoria, dom de entender e saborear os mistérios divinos. Assim seja!
                Para refletir: Quando? Como? A quem? Por quem? E como nos sentimos, quando rezamos? 



Paróquia da Imaculada Conceição
Nova Cruz – RN
Pe. Francisco de Assis Inácio
- Pároco -


Papa chega a Copacabana para participa da Via-sacra


O Papa Francisco chegou para participar da  Via Sacra com os jovens na Jornada Mundial da Juventude Rio2013 na tarde desta sexta-feira, 26, na praia de Copacabana. O texto foi escrito pelos padres do Sagrado Coração de Jesus, padre José Fernandes de Oliveira (Pe. Zezinho, scj) e padre João Carlos Almeida (Pe. Joãozinho, scj).




Veja texto via sacra na íntegra: AQUI

Anunciado nome do novo pároco de Touros

Pe. Edvaldo Brito (foto: José Bezerra)

Padre Edvaldo Alexandre de Brito foi nomeado, pelo Arcebispo, Dom Jaime Veira Rocha, para a função de pároco da Paróquia do Bom Jesus dos Navegantes, de Touros. Atual administrador da Paróquia de Nossa Senhora da Pureza, Padre Edvaldo sucederá, em Touros, o Padre Josenildo Bezerra. A posse, em Touros, acontecerá dia 17 de agosto.

Dom Jaime também anunciou o nome do Padre Antônio Luciano de Freitas para a função de vigário paroquial do Beato André de Soveral, de Emaús. Padre Luciano foi transferido da Arquidiocese de João Pessoa (PB).

Fonte: Arquidiocese de Natal

PJ faz manifestação na JMJ contra a redução da maioridade penal



Centenas de jovens, membros da PJ (Pastoral da Juventude), fizeram caminhada numa das pistas da avenida Atlântica, em Copacabana, na tarde desta sexta-feira, para pedir que a população diga “não” à proposta de redução da maioridade penal.

 “Vamos juntos/as gritar, girar o mundo. Chega de violência e extermínio de jovens”, frase do padre Gisley Azevedo, ex-assessor da CNBB, assassinado em 2009, foi apresentada, em três idiomas, no material distribuído durante a caminhada da PJ por Copacabana. O gesto dos jovens faz parte da Campanha Nacional Contra a Violência e o Extermínio de Jovens.

 Os jovens apresentam 18 razões contra a redução da Maioridade Penal:

1. Porque já responsabilizamos adolescentes em ato infracional;
2. Porque fixar a maioridade penal em 18 anos é tendência mundial;
3. Porque o índice de reincidência nas prisões é de 70%;
4. Porque reduzir a maioridade penal não reduz a violência;
5. Porque a lei já existe. Resta ser cumprida;
6. Porque a fase de transição justifica o tratamento diferenciado;
7. Porque, na prática, a PEC 33/2012 é inviável;
8. Porque reduzir a maioridade penal é tratar o efeito e não a causa;
9. Porque reduzir a maioridade penal isenta o Estado do compromisso com a juventude;
10°Porque educar é melhor e mais eficiente do que punir.

Porque as leis não podem se pautar pela exceção;

11. Porque o Brasil está dentro dos padrões internacionais;
12. Porque reduzir a maioridade penal não afasta crianças e adolescentes do crime;
13. Porque afronta leis brasileiras e acordos internacionais;
14. Porque educar é melhor e mais eficiente do que punir;
15. Porque importantes órgãos têm apontado que não é uma boa solução;
16. Porque poder voltar não tem a ver com ser preso com adultos;
17. Porque os adolescentes são as maiores vítimas, e não os principais autores da violência;
18. Porque o sistema prisional brasileiro não suporta mais pessoas.

Fonte: CNBB

Festa da Acolhida apresenta arte, cultura e religiosidade ao Papa


Multidão de peregrinos toma praia de Copacabana durante Festa da Acolhida. 

Milhares de peregrinos acompanharam a primeira atividade oficial da JMJ Rio2013 com a presença do Papa Francisco, na praia de Copacabana. O Pontífice foi acolhido pelos jovens com dança, música e teatro, atos que fizeram parte da cerimônia da noite desta quinta-feira, 25. Francisco acolhia todas as manifestações com sorrisos e expressões de satisfação.

Diversos artistas brasileiros e estrangeiros participaram das apresentações que expressavam, em sua maioria, a cultura e a religiosidade do Brasil. Fafa de Belém cantou a música tema do Círio de Nazaré que acontece em Belém do Pará. É a terceira vez que a cantora se apresenta a um Pontífice da Igreja.

Fonte: tamujuntojmj.cancaonova.com

Papa Francisco acolhe peregrinos para celebrar o Sacramento da Reconciliação


Cinco jovens que tiveram seus nomes sorteados foram recebidos pelo Papa Francisco na manhã desta sexta-feira, 26 de julho, na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro, para celebrar o Sacramento da Reconciliação. Foram atendidos em confissão três brasileiros, um venezuelano e um italiano.

Os jovens são três homens e duas mulheres. O sorteio que escolheu os nomes dos jovens, feito no sistema de inscrição, foi realizado após oração dos diretores do Setor Preparação Pastoral e Inscrição do Comitê Organizador Local (COL) da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013).

A Feira Vocacional reúne cerca de 130 expositores entre congregações, comunidades e pastorais. O local também conta com 50 confessionários, tenda de adoração onde estarão expostas relíquias de patronos e intercessores da JMJ Rio2013, além de um espaço dedicado à prática de esportes radicais e outro para música eletrônica. “Para viver intensamente a Jornada é essencial o sacramento da confissão; e, através da purificação dos pecados, a pessoa fica mais aberta para receber a graça de Deus”, afirma o padre Leonardo Lopes, coordenador da Feira Vocacional.

A todos que vivenciarem a JMJ Rio2013 será concedida a indulgência plenária, de acordo com decreto assinado pelo Santo Padre em 2 de Julho. Segundo o Catecismo da Igreja Católica, pelas indulgências, os fiéis podem obter para si mesmos e também para as almas do purgatório a remissão das penas temporais e sequelas dos pecados. De acordo com o decreto, a indulgência pode ser recebida até mesmo para os que vivenciarem a Jornada espiritualmente, que não puderam estar presentes e vão acompanhar através dos meios de comunicação social. Em qualquer caso, é preciso que as pessoas se confessem, comunguem e rezem pelas intenções do Sumo Pontífice.

Preparação pastoral

As catequeses, que acontecem desde a última quarta-feira, 24, até esta sexta-feira, 26, receberam cerca de 265 bispos e 9.600 voluntários. As principais sedes linguísticas de catequeses são em português (123 locais), em espanhol (50), em inglês (24), em francês e em italiano (15 em cada idioma).

Segundo um dos diretores do Setor de Preparação Pastoral, padre Leandro Lenin, as catequeses são momentos intensos de oração. “As catequeses representam um desejo de aprofundar o lema da Jornada Mundial da Juventude que é ‘Ide e fazei discípulos entre todas as nações’”, aponta.

Fonte: CNBB

quinta-feira, 25 de julho de 2013

Forte chuva fez os organizadores mudarem local dos atos centrais



O mal tempo que atinge o Rio de Janeiro desde terça-feira, 23 de julho, fez os responsáveis pela JMJ mudarem o local da Vigília de Oração no sábado a noite e da Missa de encerramento no domingo pela manhã de Guaratiba, zona oeste do Rio de Janeiro, para Copacabana. Os dois eventos contarão com a presença do Papa Francisco.

O anúncio sobre a mudança do local foi feito agora a pouco pelo arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani João Tempesta. O terreno em Guaratiba, que foi recém preparado para o evento, está repleto de lama e o acesso ao terreno também foi prejudicado pela chuva.

Fonte: CNBB

Papa Francisco visita comunidade no Rio de Janeiro



Papa Francisco: “fome de uma felicidade que só Deus pode saciar”

Em Varginha, região de um complexo de Favelas no Rio de Janeiro, o Papa Francisco fez um discurso contundente na manhã desta quinta-feira, 25 de julho. Ele pediu: “Não se cansem de trabalhar por um mundo mais justo e mais solidário! Ninguém pode permanecer insensível às desigualdades que ainda existem no mundo!”. Na oportunidade, o Papa também visitou a casa de uma família (foto abaixo), escolhida no momento em que ele passava pelo local. O Santo Padre entrou e conversou por alguns minutos com os moradores. Nas ruas, distribui beijos e abraços às crianças, jovens e adultos.

No quarto discurso que faz no Brasil, Papa Francisco começou cheio de simpatia:

“Que bom poder estar com vocês aqui! Desde o início, quando planejava a minha visita ao Brasil, o meu desejo era poder visitar todos os bairros deste País. Queria bater em cada porta, dizer ‘bom dia’, pedir um copo de água fresca, beber um ‘cafezinho’, falar como a amigos de casa, ouvir o coração de cada um, dos pais, dos filhos, dos avós... Mas o Brasil é tão grande! Não é possível bater em todas as portas! Então escolhi vir aqui, visitar a Comunidade de vocês que hoje representa todos os bairros do Brasil. Como é bom ser bem acolhido, com amor, generosidade, alegria! Basta ver como vocês decoraram as ruas da Comunidade; isso é também um sinal do carinho que nasce do coração de vocês, do coração dos brasileiros, que está em festa! Muito obrigado a cada um de vocês pela linda acolhida!”. O Papa prosseguiu: “Desde o primeiro instante em que toquei as terras brasileiras e também aqui junto de vocês, me sinto acolhido. E é importante saber acolher; é algo mais bonito que qualquer enfeite ou decoração. Isso é assim porque quando somos generosos acolhendo uma pessoa e partilhamos algo com ela – um pouco de comida, um lugar na nossa casa, o nosso tempo -não ficamos mais pobres, mas enriquecemos. Sei bem que quando alguém que precisa comer bate na sua porta, vocês sempre dão um jeito de compartilhar a comida: como diz o ditado, sempre se pode ‘colocar mais água no feijão’! E vocês fazem isto com amor, mostrando que a verdadeira riqueza não está nas coisas, mas no coração!”.



E enfatizou o testemunho de solidariedade do povo brasileiro: “o povo brasileiro, sobretudo as pessoas mais simples, pode dar para o mundo uma grande lição de solidariedade, que é uma palavra frequentemente esquecida ou silenciada, porque é incômoda. Queria lançar um apelo a todos os que possuem mais recursos, às autoridades públicas e a todas as pessoas de boa vontade comprometidas com a justiça social: Não se cansem de trabalhar por um mundo mais justo e mais solidário! Ninguém pode permanecer insensível às desigualdades que ainda existem no mundo! Cada um, na medida das próprias possibilidades e responsabilidades, saiba dar a sua contribuição para acabar com tantas injustiças sociais! Não é a cultura do egoísmo, do individualismo, que frequentemente regula a nossa sociedade, aquela que constrói e conduz a um mundo mais habitável, mas sim a cultura da solidariedade; ver no outro não um concorrente ou um número, mas um irmão”. E se referiu ao esforço de pacificação em ambientes como aqueles de Varginha: “Quero encorajar os esforços que a sociedade brasileira tem feito para integrar todas as partes do seu corpo, incluindo as mais sofridas e necessitadas, através do combate à fome e à miséria. Nenhum esforço de ‘pacificação’ será duradouro, não haverá harmonia e felicidade para uma sociedade que ignora, que deixa à margem, que abandona na periferia parte de si mesma. Uma sociedade assim simplesmente empobrece a si mesma; antes, perde algo de essencial para si mesma.foto-1 24

Lembremo-nos sempre: somente quando se é capaz de compartilhar é que se enriquece de verdade; tudo aquilo que se compartilha se multiplica! A medida da grandeza de uma sociedade é dada pelo modo como esta trata os mais necessitados, quem não tem outra coisa senão a sua pobreza!”. Papa Francisco tratou do compromisso da Igreja na transformação da situação social:”Queria dizer-lhes também que a Igreja, ‘advogada da justiça e defensora dos pobres diante das intoleráveis desigualdades sociais e econômicas, que clamam ao céu’ (Documento de Aparecida, 395), deseja oferecer a sua colaboração em todas as iniciativas que signifiquem um autêntico desenvolvimento do homem todo e de todo o homem. Queridos amigos, certamente é necessário dar o pão a quem tem fome; é um ato de justiça. Mas existe também uma fome mais profunda, a fome de uma felicidade que só Deus pode saciar. Não existe verdadeira promoção do bem-comum, nem verdadeiro desenvolvimento do homem, quando se ignoram os pilares fundamentais que sustentam uma nação, os seus bens imateriais: a vida, que é dom de Deus, um valor que deve ser sempre tutelado e promovido; a família, fundamento da convivência e remédio contra a desagregação social; a educação integral, que não se reduz a uma simples transmissão de informações com o fim de gerar lucro; a saúde, que deve buscar o bem-estar integral da pessoa, incluindo a dimensão espiritual, que é essencial para o equilíbrio humano e uma convivência saudável; a segurança, na convicção de que a violência só pode ser vencida a partir da mudança do coração humano”.

E o Papa concluiu: “Queria dizer uma última coisa. Aqui, como em todo o Brasil, há muitos jovens. Vocês, queridos jovens, possuem uma sensibilidade especial frente às injustiças, mas muitas vezes se desiludem com notícias que falam de corrupção, com pessoas que, em vez de buscar o bem comum, procuram o seu próprio benefício. Também para vocês e para todas as pessoas repito: nunca desanimem, não percam a confiança, não deixem que se apague a esperança. A realidade pode mudar, o homem pode mudar. Procurem ser vocês os primeiros a praticar o bem, a não se acostumarem ao mal, mas a vencê-lo. A Igreja está ao lado de vocês, trazendo-lhes o bem precioso da fé, de Jesus Cristo, que veio «para que todos tenham vida, e vida em abundância» (Jo 10,10). E disse ainda: “Hoje a todos vocês, especialmente aos moradores dessa Comunidade de Varginha, quero dizer: Vocês não estão sozinhos, a Igreja está com vocês, o Papa está com vocês. Levo a cada um no meu coração e faço minhas as intenções que vocês carregam no seu íntimo: os agradecimentos pelas alegrias, os pedidos de ajuda nas dificuldades, o desejo de consolação nos momentos de tristeza e sofrimento. Tudo isso confio à intercessão de Nossa Senhora Aparecida, Mãe de todos os pobres do Brasil, e com grande carinho lhes concedo a minha Bênção.

Fonte: CNBB

quarta-feira, 24 de julho de 2013

Eliana Ribeiro fará show em comemoração aos 55 anos da Rádio Rural de Natal




Os 55 anos da Rádio Rural de Natal e os 13 anos de presença da Canção Nova, na Arquidiocese, serão comemorados dias 3 e 4 de agosto, no Ginásio do Colégio Sagrada Família, no Alecrim. No sábado, dia 3, às 20 horas, haverá show com Eliana Ribeiro.

No domingo, a programação terá início às 8 horas, com um momento de oração, conduzido por Thiago Tomé, missionário da Comunidade Canção Nova, de Cachoeira Paulista (SP). Ainda pela manhã, haverá duas pregações, sendo uma com o Padre Roger Luís e outra com Thiago Tomé. No final da manhã, terá momento de adoração ao Santíssimo Sacramento. À tarde, pregação e testemunho da cantora e missionária, Eliana Ribeiro. A programação será encerrada às 16 horas, com missa, presidida pelo Padre Roger Luís. O ingresso custa R$ 25,00 e dá acesso ao show, no sábado, e ao encontro, no domingo, e pode ser adquirido na Rádio Rural de Natal, situada na Rua Açu, ao lado da Catedral Metropolitana.

A Rádio Rural foi idealizada pelo então bispo auxiliar de Natal, Dom Eugênio Sales. A inauguração aconteceu em 10 de agosto de 1958.

Fonte: Arquidiocese de Natal

Papa Francisco promete voltar a Aparecida em 2017



O Papa Francisco deixou a cidade de Aparecida (SP), por volta das três e meia da tarde desta quarta-feira, 24 de julho. Após almoçar no Seminário Bom Jesus, ele conversou com um grupo de religiosas que vive em clausura, descansou um pouco e, novamente, de papamóvel percorreu algumas ruas da cidade. No caminho, o Papa Francisco desceu do papamóvel e foi em direção aos fiéis dos dois lados da avenida, beijou crianças e idosos. O helicóptero da Força Aérea levou o Papa até São José dos Campos (SP), onde ele embarcou ao Rio de Janeiro.

Agora à tarde - 17h30, o Papa Francisco seguirá direto para a Tijuca (RJ), na zona norte da cidade, visita o projeto “Legado Social”, no Hospital São Francisco de Assis, onde participará da inauguração do Polo de Atenção Integral à Saúde Mental, vinculado à arquidiocese do Rio. Às 19h45, o Santo Padre volta a residência oficial onde está hospedado para reuniões reservadas e descanso.

Resumo da manhã


O papa celebrou missa em português no interior da Basílica do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida (SP). Ele cumprimentou fiéis e religiosos no interior da Igreja e seguiu, por volta das 12h40, para a Tribuna Bento XVI, na parte externa do santuário. Com a imagem da santa padroeira, o papa fez o sinal da cruz, abençoando os fiéis. A bênção foi proferida em espanhol e Francisco pediu que os fiéis rezem por ele. Logo depois, o Pontífice se despediu afirmando que voltará em 2017. papa2

Em 2017, o Santuário Nacional vai comemorar os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida e o papa foi convidado a participar da celebração pelo arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, dom Raymundo Damasceno Assis. O papa pediu que rezassem por ele: "Eu peço um favor, com jeitinho, rezem por mim. Necessito. Que Deus os abençoe e Nossa Senhora Aparecida cuide de vocês." Antes, ele havia perguntado, em espanhol, se uma mãe se esquece dos seus filhos, e com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, deu uma bênção aos fiéis. Francisco iniciou fala em espanhol, pedindo desculpas por não falar "brasileiro".

Fonte: CNBB

Arcebispo dá novas funções a seis padres



O Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha, anunciou a transferência de seis padres para novas funções. 

Padre Marcelo Cezarino deixa a Paróquia do Beato André de Soveral, de Emaús, e assumirá a Paróquia de São João Batista, em Lagoa Seca, Natal, com posse marcada para o dia 19 de agosto. 

Padre Abelardo Freitas sai da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, de Maxaranguape, e assume, dia 8 de agosto, a Paróquia do Beato André de Soveral. 

Padre Gutemberg Simplício deixa a Área Pastoral de Guamaré e assumirá a Paróquia de Maxaranguape, dia 10 de agosto.

Padre Flávio Bezerra, atualmente vigário paroquial de Santo Antônio de Pádua, no Parque dos Coqueiros, Natal, assumirá a Área Pastoral de Guamaré.

Padre Josenildo Bezerra foi transferido da Paróquia do Bom Jesus dos Navegantes, de Touros, para a Paróquia de São Francisco de Assis, em Pedro Velho.

E o Padre Cláudio Carvalho sai de Pedro Velho e para ser o pároco da Paróquia de Nossa Senhora dos Prazeres, em Goianinha.

Outros padres que foram transferidos anteriormente já têm datas marcadas para a posse. No Seminário de São Pedro, o novo reitor, Padre José Nazareno, e o vice, Padre Francisco Fernandes, assumirão as respectivas funções, dia 7 de agosto, às 19h30; Padre Fábio Pinheiro será empossado na Paróquia de João Câmara, dia 12, e o Padre Ajosenildo Nunes assumirá a Paróquia de Nísia Floresta, dia 13 de agosto.

Fonte: Arquidiocese de Natal

Primeira homilia do Papa Francisco no Brasil


“É de Maria que se aprende o verdadeiro discipulado” disse o Papa Francisco, durante a celebração da Eucaristia, na Basílica de Nossa Senhora em Aparecida (SP). Essa é sua primeira homilia e também primeira viagem apostólica internacional durante a Jornada Mundial da Juventude. Papa Francisco começou dizendo que “quanta alegria me dá de vir a casa da Mãe Aparecida”. Lembrou que no dia seguinte a sua eleição, ele foi a Basílica de Santa Maria Maggiore, em Roma, para confiar meu pontificado. Hoje, disse o Papa, ele quis vir a Aparecida confiar a Jornada Mundial da Juventude e a vida do povo latino-americano.

O Papa lembrou que foi justamente em Aparecida, seis anos atrás, ele pode se dar conta, pessoalmente, de algo que considerou belíssimo: os bispos trabalharam na V Conferência do episcopado latino-americano e caribenho (CELAM) eram acompanhados pelos peregrinos que vinham ao Santuário confiar suas vidas à Nossa Senhora Aparecida. Por isso, o Documento que foi publicado depois daquele encontro “nasceu do trabalho dos pastores e da fé dos romeiros sob a proteção de Maria”.

E fez uma breve mediatação chamando a atenção para posturas: “conservar a esperança, deixar-se surpreender por Deus e viver a alegria”. Em primeiro lugar, disse o Papa, “nunca percamos a esperança!”. Recordou que o mal esta presente na vida de todos, mas o mal não é o mais forte. “Deus é a nossa esperança”, afirmou o Papa. “É verdade que tantas pessoas, e também os jovens, estão diante de tantos ídolos”, continuou. Esses ídolos seriam o dinheiro, poder e o prazer. Lembrou também que muitas pessoas, frequentemente, vivem a solidão e tem uma sensação de vazio, mas é preciso que ninguém desanime: “sejamos luzeiros da esperança”, conclamou o Papa. Pediu que todos tenham uma visão positiva da realidade e recordou que os jovens são um motor potente para a sociedade e para a Igreja: “eles são a coração espiritual de um povo”, acentuou.

A segunda atitude, prosseguiu o Papa, é aquela de cada pessoa se deixar surpreender por Deus. “Quem é homem e mulher de esperança, sabe que, mesmo em meio a dificuldades, Deus está atento e nos surpreende”. Papa Francisco lembrou que a própria história da imagem de Aparecida é uma bela ilustração das surpresas de Deus. Ninguém poderia imaginar que de uma pesca no Rio Paraíba, viria a mensagem de que o Brasil inteiro tem uma mãe. “Longe de Deus, o vinho da alegria e da esperança, se esgota”. Perto dele, tudo isso se torna possível, complementou o Papa.

A terceira e última atitude escolhida pelo Papa é “viver na alegria”. Lembrou que todos devem caminhar na esperança, deixando se surpreender por Deus e ser alegres. “O cristão é alegre, nunca está triste. Deus nos acompanha. Temos uma mãe que sempre intercede pela vida de seus filhos”, afirmou. E concluiu dizendo que Jesus mostra a face de um Pai que ama. E, por isso, o cristão não pode ter o rosto de quem está em constante estado de luto. Pediu que todos se deixassem contagiar pela alegria de Cristo e recordou que o que Bento XVI disse no Santuário de Aparecida, em 2007, quando afirmou que “o discípulo sabe que sem Cristo não há luz, não ha esperança, não há futuro”. E concluiu: “viemos bater na casa de Maria. Ela nos abriu, fez nos entrar e nos aponta seu filho e, agora, ela nos diz: ‘Fazei o que ele disser’. O Papa responde a esse apelo dizendo que todos devem fazer o que Cristo disser na esperança, cheios das surpresas de Deus e na alegria.

Fonte: CNBB

Selo alusivo à JMJ é lançado no Rio Grande do Norte


Aconteceu na tarde da última terça-feira (23), o lançamento em nível estadual, do selo alusivo à Jornada Mundial da Juventude Rio 2013 (JMJ) e à visita do papa Francisco ao Brasil. A cerimônia aconteceu na Paróquia de Nossa Senhora da Candelária, no bairro Candelária, após a missa das 17h, que foi presidida pelo vigário geral da Arquidiocese de Natal, padre Edilson Nobre e concelebrada pelo pároco, padre Júlio César.
Segundo o padre Edilson, a Igreja Católica vive um momento intenso de alegria e fé. “Esta semana é um momento nosso, um momento da graça. Elevamos nossa gratidão aos Correios, em lançar o selo alusivo à JMJ e ao papa Francisco. Essa iniciativa, com certeza serve de estímulo para vivenciarmos a nossa fé”, destaca.
O lançamento oficial foi feito pelo gerente comercial dos Correios no RN, Marco Antonio, que destacou a importância desta iniciativa. “É uma proposta dos Correios fazer o registro de fatos históricos que marcaram a nossa sociedade. Nesse caso, a Jornada tem sua relevância, marcando a vinda do papa Francisco ao Brasil. Este selo representa o valor simbólico da Jornada”, frisa.
Ao final dos pronunciamentos, o gerente comercial dos Correios entregou uma comenda aos seguintes homenageados: Arquidiocese de Natal, na pessoa do vigário geral, padre Edilson Nobre; Paróquia de Nossa Senhora da Candelária, na pessoa do pároco, o padre Júlio César; articuladora da Paróquia de Nossa Senhora da Candelária, Eralce Campos; coordenadora do setor juventude da Paróquia de Nossa Senhora da Candelária, Walana Mesquita e Ana Clara Lopes, membro do 40º Grupo de Escoteiros, do bairro Candelária.

Sobre o selo

O selo traz, em primeiro plano, a imagem do Papa no gesto de emissão de benção. Ao fundo, a representação da vista da Baía de Guanabara e, à esquerda, o monumento do Cristo Redentor, símbolo escolhido para a 28ª Edição da Jornada Mundial da Juventude. Acima da bandeira, a logomarca oficial da JMJ Rio2013. A arte do selo é de Fernando Lopes, que utilizou a técnica de aquarela sobre papel na confecção da ilustração.
Serão emitidos 1,2 milhão de selos, comercializados a R$ 1,80 cada. As peças poderão ser adquiridas pela loja virtual (www.correios.com.br/correiosonline), pela Agência de Vendas a Distância (centralvendas@correios.com.br) ou nas agências dos Correios.

Foto: Luíza Gualberto
Legenda:
Da esq.: Walana Mesquita, coordenador da Pastoral da Juventude, na Paróquia da Candelária; Pe. Edilson Nobre, vigário geral da Arquidiocese; Pe. Júlio César, pároco da Candelária; Ana Clara Lopes, membro do 40º Grupo de Escoteiros da Candelária; Eralci Campos, articuladora pastoral da Paróquia da Candelária; e Marco Antônio, gerente comercial dos Correios no RN

Fonte: Arquidiocese de Natal

Pascom de Nova Cruz realiza retiro dia 28

Retiro, realizado em 2012

Agentes da Pastoral da Comunicação, da Paróquia da Imaculada Conceição, de Nova Cruz, participam de retiro espiritual, no próximo domingo, 28, a partir das 8 horas, no Centro Pastoral do Catolé. A pregadora é a Irmã Juliane Alves, da Congregação das Filhas do Amor Divino. Os padres Francisco de Assis Inácio e Pedro Cunha também participam. Anualmente, a equipe participa de um retiro espiritual, com o objetivo de aprofundar a espiritualidade e a mística da comunicação.

Missa abre oficialmente as atividades da JMJ Rio2013



“Estamos iniciando a JMJ Rio 2013. Sejam todos bem-vindos!”, disse o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta, na homilia da celebração eucarística celebrada na noite desta terça-feira, 23 de julho, e que marca, oficialmente, a abertura da 28a. Jornada Mundial da Juventude.

Dom Orani agradeceu a dom Antonio María Rouco Varelao, cardeal arcebispo de Madri, que apontou para esse encontro no Rio e saudou o Papa emérito Bento XVI que acompanha a Jornada. Reconheceu que essa Jornada era mesmo para ser presidida pelo primeiro papa latino-americano da história da Igreja. Dom Orani considerou que o Rio de Janeiro é o “Santuário Mundial da Juventude” nesta semana. Lembrou também que o cardeal Odilo Pedro Scherer, cardeal arcebispo de São Paulo, que foi o primeiro a receber os símbolos da JMJ. E afirmou: “Somos chamados a ser protagonistas de um mundo novo! o mundo precisa de jovens como vocês”.

A programação oficial da Jornada Mundial da Juventude - JMJ Rio2013, com missa de abertura presidida pelo arcebispo do Rio de Janeiro e presidente do Comitê Organizador Local (COL), dom Orani Tempesta. A missa será concelebrada por bispos e padres peregrinos que participam do evento. Nesta celebração, o arcebispo acolhe todos os jovens que chegaram à Arquidiocese do Rio de Janeiro para participar da JMJ. Este primeiro Ato Central da Jornada no Palco de Copacabana é o único sem a presença do Papa Francisco. Durante o dia o Santo Padre teve cumpriu uma agenda privada. Nesta noite ele que segue de avião para a Aparecida (SP) para presidir missa, amanhã, às 10h30, no Santuário Nacional para mais de 500 mil fiéis.

Palco central

Na praia de Copacabana a juventude curte uma programação intensa de shows que teve início às 15h com apresentações artísticas. Mais de 100 cantores que formam o “Coral Carioca JMJ” foram convidados pela equipe dos Atos Centrais para representarem as paróquias da Arquidiocese do Rio de Janeiro e seus ministros de música. Cantores da música católica e bandas se apresentam no Palco Central. Às 18h, os símbolos da JMJ Rio2013, a Cruz Peregrina e o Ícone de Nossa Senhora chegam ao palco de Copacabana para a missa. 

Fonte: CNBB

terça-feira, 23 de julho de 2013

Últimos preparativos da segurança para receber o Papa Francisco em Aparecida


Mesmo com o frio e a chuva que atingem a cidade de Aparecida (SP) nesta terça-feira, 23 de julho, é forte a presença das forças de segurança nos últimos preparativos para a presença do Papa Francisco, que visita o Santuário Nacional amanhã. Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal e Forças Armadas já fazem a segurança no local, totalizando 5 mil soldados, atuando em 305 viaturas e 5 aeronaves.

Algumas partes do Santuário Nacional já foram bloqueados pela organização para a visita do Papa. De acordo com o reitor do Santuário, padre Domingos Sávio, o bloqueio será total a partir das 18 horas de hoje. “Depois deste horário, o Santuário será totalmente fechado para a retirada dos bancos e a colocação de cadeiras. Apenas 15 mil pessoas poderão entrar, por ordem de chegada. A acolhida começa às 5 da manhã. Os que chegarem depois poderão acompanhar a missa por meio de telões, instalados no estacionamento”.

Os padres e bispos já foram credenciados antecipadamente para esta celebração. O Papa Francisco descerá de helicóptero no pátio do Santuário Nacional, e segue em carro aberto até a sacristia. Ao final da missa, o Santo Padre deverá sair para a Tribuna Bento XVI, onde fará a consagração a Nossa Senhora Aparecida, e abençoará os fiéis. Em seguida, Francisco será conduzido ao Seminário Bom Jesus, onde almoça com o presidente da CNBB e arcebispo de Aparecida, cardeal Raymundo Damasceno Assis.

Fonte: CNBB

Primeiro discurso do Papa e fotos da chegada no Brasil



O Papa Francisco iniciou o seu discurso, em português, ressaltando que a Providência o quis conduzir na sua primeira viagem internacional, à sua amada América Latina, precisamente ao Brasil “nação que se gloria de seus sólidos laços com a Sé Apostólica e dos profundos sentimentos de fé e amizade que sempre a uniram de modo singular ao Sucessor de Pedro”.

 Após, pediu “licença para entrar no coração dos brasileiros, revelando o que veio trazer ao Rio”:

“Aprendi que para ter acesso ao Povo Brasileiro, é preciso ingressar pelo portal do seu imenso coração; por isso permitam-me que nesta hora eu possa bater delicadamente a esta porta. Peço licença para entrar e transcorrer esta semana com vocês. Não tenho ouro nem prata, mas trago o que de mais precioso me foi dado: Jesus Cristo! Venho em seu Nome, para alimentar a chama de amor fraterno que arde em cada coração; e desejo que chegue a todos e a cada um a minha saudação: “A paz de Cristo esteja com vocês!”


Leia mais AQUI
Veja algumas fotos: AQUI
Fonte: CNBB



segunda-feira, 22 de julho de 2013

Papa no Palácio Guanabara: "Que a paz esteja convosco"


Recepção oficial de boas-vindas do Brasil ao Papa Francisco tem a participação de 650 convidados. Do lado de fora, o governo da cidade colocou 1.500 homens e veículos blindados. A presidente Dilma Rousseff, o governador Sergio Cabral e o prefeito Eduardo Paes fizeram as honras da casa e, em seguida, o Papa se dirigiu a uma área do Palácio. Foram tocados o hino do Vaticano e do Brasil, este último acompanhado pelos convidados, enquanto o Pontífice permaneceu de cabeça baixa.

“Com grande alegria, Papa Francisco, dou-lhe as boas-vindas ao Rio de Janeiro e ao Brasil. É uma honra recebê-lo. Uma honra redobrada por se tratar do primeiro Papa latino-americano”, disse a presidente Dilma Roussef, no início do discurso. “Sabemos que temos diante de nós, um líder religioso sensível”, também afirmou. Dilma disse que há semelhanças entre as lutas do Papa e dos povos que combatem a exclusão. Citou uma passagem de uma análise do Papa sobre a realidade dos mais pobres e os jovens e garantiu que, nessa questão, está unida ao Pontífice.


Dilma elogiou a parceria com as pastorais católicas no combate as injustiças e a defesa das crianças, jovens e dos direitos de outras sofredores. A presidente contou ao Papa que o Brasil tem colaborado com vários países da África no combate a fome e a pobreza e que esse tipo de iniciativa pode ter ainda mais força na construção de uma aliança global de solidariedade. “Santidade: nós, brasileiros, somos mulheres e homens de fé”, declarou a presidente mesmo considerando que é a fé está além da fé religiosa. A presidente lembrou o Papa que a realização de manifestações dos jovens nas ruas do Brasil são frutos do avanço político do país, dizendo que democracia gera mais democracia. Reconheceu que os jovens, cansados da violência, querem dar um basta às discriminações e estar engajados nas grande lutas mundiais. Dilma considerou que a Jornada Mundial da Juventude é oportunidade de renovar o compromisso dos jovens com a transformação. E, por fim, saudou o Papa e os jovens do mundo inteiro pedindo que todos se sentissem “em casa”.papa noite6

Papa Francisco, serenamente, tirou os óculos, cumprimentou a todos e considerou que quis Deus que sua primeira viagem apostólica ao Brasil. “Aprendi que para ter acesso ao povo brasileiro, é preciso entrar no portal do seu coração”. Disse que pede licença para passar uma semana com o povo brasileiro e que não traz “nem ouro e nem prata”, mas a Jesus Cristo e desejou a paz de Cristo. Cumprimentou as autoridades e diplomatas e dirigiu uma palavra de afeto aos bispos, lembrando que essa sua visita outra coisa não quer do que confirmar os irmãos na fé como é a missão do bispo de Roma. “Estes jovens vindos de diversos continentes, falam línguas diferentes” e, em Cristo, encontram as respostas para suas aspirações. “Cristo bota fé nos jovens!” disse, com ênfase, o Papa. E complementou: "também os jovens botam fé em Cristo!”.

Fonte: CNBB

Papa e o povo nas ruas do Rio de Janeiro


Papa Francisco, bem disposto depois de uma viagem longa desde Roma, a bordo do papamóvel sem blindagem realizou um passeio de mais de um quilômetro pelo centro da cidade do Rio de Janeiro. Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, também esteve no carro especial do Papa. Exposto, com visível desespero dos homens de segurança, o Papa saudou milhares de pessoas que estiveram nas imediações da Catedral e do Teatro Municipal. Desde as 9 horas da manhã, vários grupos já se posicionaram em algum ponto das ruas por onde o Papa passou.

A avenida Rio Branco, uma dos cenários das maiores manifestações recentes do povo no Rio de Janeiro, foi percorrida, em parte, pelo papamóvel. A Polícia Militar estimou que mais de 10 mil pessoas estavam presentes nas ruas por onde o Papa passou e o prefeito da cidade, Eduardo Paes, pediu que a população usasse transporte público para facilitar a organização da passagem do Pontífice. Essa é a primeira vez que esse veículo é levado para fora do Vaticano para viagem de um Papa. Esse carro costuma ser usado pelo Papa nas audiências públicas na Praça São Pedro. Estima-se que o carro voltará a ser usado por mais 11 vezes durante essa visita ao Brasil.



Acenando para as pessoas dos dois lados da rua e até no alto dos prédios, o Papa permaneceu sempre simpático e sorridente. Chuvas de papel picado, muitas bandeiras, cantos e saudações tomaram as ruas e o Papa voltou a acolher e beijar várias crianças. Uma senhora que furou o esquema de segurança e tentou se aproximar do carro também foi cumprimentada pelo Papa. Um mar de celulares apontado para o papamóvel o aguardava ao lado do prédio do Teatro Municipal de onde ele desceu para tomar o mesmo carro que o trouxe até a Catedral.Foi levado para uma base para tomar o helicóptero que o levou ao Palácio Guanabara para seu primeiro pronunciamento no Brasil.

Fonte: CNBB

Presidente da CNBB acolhe o Papa Francisco em sua chegada ao Brasil


O presidente da CNBB, cardeal Raymundo Damasceno Assis acolheu o Papa Francisco e recebeu dele um afetuoso abraço, na chegada do Santo Padre ao Rio de Janeiro, na tarde desta segunda-feira, 22 de julho, para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013). O Papa desembarcou na base área do Galeão exatamente às 16h. Em sua chegada ao Brasil, foi recebido pela Presidente da República, Dilma Roussef, pelo governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e pelo prefeito da cidade, Eduardo Paes e representantes do Governo Federal. O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta também cumprimentou o Papa Francisco.

O Sumo Pontífice seguirá de carro fechado até a Catedral Metropolitana, no Centro do Rio. Deste ponto, a partir das 17h, o Papa fará um trajeto em carro aberto pela Avenida República do Chile, Avenida Rio Branco, Rua Araújo Porto Alegre, Avenida Graça Aranha, Avenida Nilo Peçanha e novamente na Avenida Rio Branco em direção ao Teatro Municipal. Depois do trajeto em papamóvel, haverá uma cerimônia de boas vindas no jardim do Palácio Guanabara, onde o Santo Padre fará o seu primeiro discurso. No local, haverá a recepção protocolar das três esferas de governo.

Fonte: CNBB


Papa Francisco embarca para o Brasil por ocasião da JMJ Rio2013



Chegada do Pontífice está prevista para as 16h

O Papa Francisco partiu, na manhã desta segunda-feira, dia 22, do Aeroporto de Fiumicino, em Roma, às 8h45, a bordo de um avião da companhia Alitalia. O destino do Pontífice é o Brasil, por ocasião da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro.

Em sua primeira viagem oficial ao exterior, Francisco subiu a bordo do avião acompanhado do Secretário de Estado, Cardeal Tarcisio Bertone; o prefeito regional da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada, João Braz de Aviz; o Presidente da Pontifícia Comissão para a América Latina, Cardeal Marc Ouellet, e o Substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado, Dom Angelo Becciu. Além deles, também viaja com o Santo Padre cerca de 70 jornalistas, de 15 nacionalidades.

A aterrissagem do Papa está prevista para as 16h (horário de Brasília) no Aeroporto Internacional do Galeão – Antônio Carlos Jobim. Lá, ele será recebido pela Presidente do Brasil, Dilma Rousseff. Logo após, o Santo Padre partirá rumo ao Palácio Guanabara, onde fará seu primeiro discurso em solo brasileiro. A seguir, ele fará uma visita de cortesia à Presidente e se encontrará com o Governador do Rio, Sérgio Cabral, e o Prefeito Eduardo Paes.

Ao final da tarde, Papa Francisco seguirá para o Sumaré, onde ficará hospedado até o dia 28 de julho.

Em seu Twitter, o Pontífice deixou uma mensagem aos jovens que já estão no Brasil para a JMJ: “Dentro de algumas horas chego ao Brasil, e já sinto o coração cheio de alegria por em breve estar celebrando com vocês a 28ª JMJ”.

Fonte: Canção Nova

Revistas brasileiras analisam visita da Papa



As revistas de maior circulação nacional que tratam de assuntos e de notícias de atualidade no Brasil consideram Papa Francisco uma figura pública especial e positiva, mas acentuam os problemas que ele deve enfrentar na visita que começa nesta segunda-feira, 22 de julho, como parte da JMJ 2013, no Rio de Janeiro.

A revista VEJA traz uma capa light em tom azulado com uma manchete de encher os olhos: “O Papa dos pobres”. A manchete faz uma advertência sobre esse período que se vive no País: “O significado de ter Francisco entre nós em um momento explosivo para a Igreja Católica e para o Brasil”. A matéria, no entanto, é mais amena. Escrito por Adriana Dias Lopes e Helena Borges, de Roma, o texto toma duas perspectivas: as mudanças que o comportamento do Papa está sugerindo para a Cúria Romana, considerando até que os membros da organização maior da Santa Sé terão uma semana “de folga” com a viagem ao Brasil e a situação já amplamente debatida da queda do número de católicos no Brasil aplicando essa situação particularmente aos jovens.

A matéria dá voz aos jovens católicos e traz a opinião de 42 deles. Gustavo Nunes, um jovem de 17 anos que mora em Goiânia (GO), um dos escolhidos pela revista diz que “a Jornada é uma oportunidade única para jovens católicos mostrarem ao mundo a força que ainda têm”. O desejo do Papa de ir ao encontro dos pobres, destacado por veja, tem uma ilustração: “O Papa também quis conhecer de perto uma comunidade pobre: assim, vai rezar missa na pequena capela da recém-pacificada favela da Varginha, no complexo de Manguinhos, Zona Norte do Rio”.

Parte do grupo Globo, a revista ÉPOCA preferiu ser mais didática em relação ao significado da visita e estampa numa capa onde se vê o Papa de perfil: “10 lições de vida do Papa”. E resume o momento do seguinte modo: “O Papa que chega ao Rio de Janeiro nesta segunda-feira, dia 22, é um líder capaz de fazer o país repensar. No Brasil de 2013, que saiu às ruas em protesto contra o descaso de seus governantes, é o homem certo na hora certa. Seu exemplo de humildade e dedicação aos que sofrem, associado ao desprezo por luxo, conforto e privilégio, constitui uma espécie de repreensão silenciosa aos arrogantes que, no poder, agem como se tivessem direito a tudo. O exemplo de Francisco não mudará radicalmente o Brasil e nem tocará o coração de todos os brasileiros. Mas ele é capaz de inspirar e ensinar os que estiverem prontos a ouvi-lo”.

Entre as 10 lições propostas pela revista como ensinamentos dessa visita do Papa está um convite para que a pessoa “Viaje pela vida”. E fundamenta: “Francisco é desapegado, e isso lhe permite, nas palavras dela, “viajar leve pela vida”. Anda a pé, pega transporte público e, quando cardeal, não tinha carro oficial nem motorista. Esse voto de pobreza, diz o teólogo Altmayer, não é algo triste, pelo contrário. ‘Quem tem pouco é mais livre, mais feliz’, diz. Talvez essa fórmula não valha para todos”. E outra lição seria de que o Papa “Dá importância aos valores”: “Em lugar do apego aos bens materiais, o papa Francisco tem valores. Desde a infância, sua biografia está repleta de elementos que demonstram isso. Ele começou a trabalhar aos 12 anos, porque seu pai considerava o trabalho essencial. Guardou isso com ele. Música e literatura também são paixões precoces que ele cultiva até hoje, como elemento essencial da existência. Da ética religiosa dos jesuítas, a ordem religiosa a que Francisco pertence, extraiu a decisão de levar uma vida modesta, dedicada aos necessitados. Ele acredita que ajudar os pobres enriquece objetivamente a vida das pessoas. Nem todos estão dispostos a viver assim, movidos pelo senso de missão e pela arte, mas o exemplo de Francisco deixa claro que um punhado de convicções, gostos e atitudes simples podem, muitas vezes, ser mais importantes que um vasto patrimônio. Ao longo da vida, somos capazes de guardar coisas mais valiosas que os nossos bens”.

A revista ISTOÉ, na edição de 17 de julho, não se ocupou em expor quem o Papa Francisco é, mas preferiu mostrar “quem é o novo católico que espera o Papa”. Na matéria trata da simplicidade do Papa, mas destaca que “a mensagem que o Papa divulgará durante a JMJ, acreditam religiosos e estudiosos ouvidos por ISTOÉ, deverá ser um apelo para que os jovens valorizem menos as coisas materiais e fortaleçam os laços espirituais. O jornal espanhol "El País" noticiou que Francisco vai falar sobre as manifestações que estão acontecendo em todo o Brasil e afirmará que as ‘demandas levantadas por maior justiça não contradizem o Evangelho’. O arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani Tempesta, também presidente do Comitê Organizador Local (COL) da JMJ, disse à ISTOÉ que não sabe se os protestos estarão ou não no discurso papal, mas como a CNBB se posicionou de forma favorável às manifestações, o santo padre deverá seguir o mesmo caminho”.

A matéria da Istoé ainda complementa citando que “o padre Luís Correa, professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio e jesuíta lembra que ‘o papa já disse em outras ocasiões que o cristão tem que se meter na política, não pode lavar suas mãos’. A proximidade entre argentinos e brasileiros também pode ser explorada. ‘Somos países de injustiças, que passaram por regimes de exceção, que querem uma Igreja voltada para o despojamento’, afirma o arcebispo de Manaus, dom Sérgio Castriani, que esteve com o papa recentemente”.

A revista CARTA CAPITAL, reconhecidamente dona de uma linha política mais crítica, traz uma capa positiva: “O papa renovador. Francisco vem ao Brasil e aos cem dias de pontificado já deu muitos passos à frente”. A revista analisa, com acentos bem políticos, o trabalho do Papa e entrevista Leonardo Boff que apresenta expectativa sobre a visita: “Ele (Papa) fez uma declaração corajosa em Roma, dizendo que os políticos têm que escutar os jovens na rua; que a causa dos jovens é legítima, justa e que estaria em conformidade com o evangelho. Eu acho que ele vai fazer uma convocação crítica aos políticos, para que eles não sejam mais corruptos e passem a servir mais ao povo. E vai fazer um desafio aos jovens de continuar a transformação da sociedade, mas sem violência. E aí exclui todos esses vândalos que nos últimos dias mostraram uma violência absolutamente injustificável e estúpida”.

Fonte: CNBB

Missa de envio encerra Semana Missionária na Arquidiocese de Natal

A celebração foi presidida pelo Arcebispo, Dom Jaime Vieira Rocha
Foto: Luíza Gualberto


Cerca de 2 mil jovens participaram da missa de envio, no último sábado (20), que marcou o encerramento da Semana Missionária, na Arquidiocese de Natal. A celebração foi presidida pelo arcebispo metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha. A programação aconteceu no Monumento dos Mártires, em Uruaçu, durante todo o dia, com tendas temáticas, além da Feira das Expressões.

Durante a homilia, Dom Jaime lembrou aspectos de dificuldade que a juventude vive na atualidade, como crises familiares, drogas, desemprego, etc. "A JMJ se mostra como esse gás, esse renovar da esperança em tempos melhores. O Papa Francisco diz que os jovens são conclamados a serem apóstolos da fé. Que os jovens que participam da Jornada, possam sentir fortemente este chamado”, ressalta.

Para o padre Inácio Lopes, coordenador do setor juventude da Arquidiocese de Natal, esse momento demonstrou os frutos concretos da Jornada. “A Semana Missionária deixou, assim como a JMJ deixará, uma preocupação permanente com a Igreja, de evangelização da juventude”, frisa. Mais de mil jovens da Arquidiocese de Natal seguem para a Jornada Mundial da Juventude, que vai acontecer no Rio de Janeiro, a partir desta terça-feira (23), até o domingo (28).

Fonte: Arquidiocese de Natal

Cobertura jornalística da JMJ Rio 2013




A chegada do Papa nesta segunda-feira, 22 de julho, já faz desse domingo um dia diferente em vários aeroportos do País. Terminais de Brasília, São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, estão tomados por grupos que tiram o ar de normalidade pelo barulho de cânticos que entoam e pela algazarra das conversas e dos contatos que fazem com os outros peregrinos que partem, passam ou chegam para a Jornada. Apesar de reclamar da “imprevisibilidade”, autoridades do governo da cidade do Rio de Janeiro estimam que o Rio vai receber o equivalente ao público de 3 festas de réveillon, que costuma reunir um milhão de pessoas em Copacabana, no correr da próxima semana.

Domingo, 21 de julho, Media Center da JMJ 2013, Forte de Copacabana, Rio de Janeiro. As portas foram abertas às 8 horas da manhã. A estrutura, para nossos parcos recursos de Igreja, pode ser chamada de colossal. Tudo montado pela “newsourceglobo”. Teve início, o trabalho jornalístico de quem se credenciou para vir ao Rio. A Assessoria de Imprensa da CNBB está presente.

 Segundo as informações oficiais, como o Brasil está sediando grandes eventos nesses anos, apenas encerrada a Copa das Confederações, tem início a Jornada Mundial da Juventude e já se caminha para Copa do Mundo e as Olímpiadas, a Rede Globo criou a Newsource Globo para auxiliar a imprensa nacional e internacional na produção de notícias e cobertura, além de revelar a beleza, a rica cultura e diversidade da população brasileira. A empresa montou, além desse de Copacabana, um outro centro de mídia semelhante no Campus Fidei, em Guaratiba, onde o Papa vai se encontrar com os jovens, no domingo, 28 de julho. Todos os jornalistas que possuem credencial para realizar a cobertura da JMJ Rio 2013 têm acesso a esses centros de mídia.

A Câmara Municipal aprovou esquema de feriado na cidade para facilitar a vida da população. A Prefeitura explicou que “os feriados dos dias 23 (a partir das 16h); 25 e 26 (o dia inteiro); e 29 (até 12h) valem para todas as categorias profissionais e atividades econômicas tais como, fábricas, serviços, empresas, bancos, universidades, etc. Para atender à grande demanda de peregrinos durante a Jornada Mundial da Juventude, ficam excluídos do feriado apenas comércio de rua, bares, restaurantes, centros comerciais e shoppings centers, galerias, estabelecimentos culturais e pontos turísticos. Serviços públicos essenciais serão mantidos”.

Fonte: CNBB



domingo, 21 de julho de 2013

16º DOMINGO DO TEMPO COMUM

           Jesus, o único e fundamental!
             Evang. -   Lc 10,38-42

                               Lucas nos faz refletir a partir da ocorrência de Jesus ao visitar as irmãs Marta e Maria, chamando a devida atenção para o único e fundamental.
                               Contudo, antes de chegarmos a essa conclusão, somos obrigados a assistir grande quantidade de água a passar por baixo da ponte. Ou seja, este texto provoca, ao menos no semblante de algumas pessoas, algumas reações de insatisfação: como é possível reclamar com uma pessoa que estava a trabalhar, enquanto o elogio-reconhecimento é dirigido a uma desocupada? Até parece que alguém está sendo injustiçado!
                               Como se não bastasse, e para complicar ainda mais a ocorrência, surgem outras interpretações oferecidas ao texto. São muitas as contestações entre a vida ativa e a vida contemplativa. Por exemplo, alguns acham que quem é mais coerente com a sua vocação-consagração ao Reino, são os contemplativos, enquanto outros asseguram que não, são sim, os que estão na ação pastoral social.
                               E agora? Vejamos bem, usar o texto para contrapor as condições contemplação e ação, é mesmo que entrar na contramão da história. É preciso ler pela lente que ajuda a enxergar melhor a história de Marta e Maria, porque assim ela tornar-se-á reveladora. “Hospedar e cuidar é bom; mais fundamental, porém, é receber o dom que é o hóspede, com tudo o que ele tem de importante”. E o mais importante, no caso, é a palavra de Jesus. Enfim, Ele veio para servir, e serve por meio de sua palavra transformadora. E Maria acertou de cheio, aliás, segundo o próprio Mestre, “Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada” (v. 42).
                               Enquanto Marta é repreendida pelo Senhor com as seguintes palavras: “Marta, Marta! Tu te preocupas e andas agitada com muitas coisas. No entanto uma só coisa, porém, é necessária”. Esgotadíssima em correr pra lá e pra cá. Parece até que o importante é só “fazer coisas”. Ela (Marta), mas também alguns outros, até fazemos para o nosso próximo, contudo, sem recebê-lo, faltando o que é mais importante: respeito, paciência, compreensão, generosidade e caridade. Infelizmente a anfitriã de Jesus entende como fundamental os seus afazeres e pouca importância à pessoa do Filho de Deus e ao que ele tem para oferecer.
                               “O ativismo, mesmo a serviço dos outros, corre o perigo de ser um serviço a si mesmo: autoafirmação à custa de quem é o ´objeto´ de nossa caridade. A superação do ativismo consiste em ver o mistério de Deus nas pessoas, assim como Maria o enxergou em Jesus, o portador das palavras de vida eterna (cf. Jo 6,68)”.
                               A lição que o Mestre dos mestres quer nos oferecer é a seguinte: As duas condições se interagem. Ele demonstra uma verdade-prioridade: é preciso escutar, receber uma palavra que se instala em cada um de nós como um hóspede se instala em nossa casa.
                               Uma ideia importante, segundo Dom Helder: “O ideal é ter as mãos de Marta e o coração de Maria”. Ou seja, unidos sempre pela fé, na constante construção de uma nova história, de mãos entrelaçadas  e erguidas em confiante prece... . Amém!



PARÓQUIA DA IMACULADA CONCEIÇÃO
NOVA CRUZ – RN

Pe. Francisco de Assis Inácio

 - Pároco -